Ahparaneo no Facebook

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Aos poucos, mas é preciso começar!

As mudanças quando requerem algum tipo de investimento geram incômodo e as coisas demoram a engrenar. De nada adianta aprovar uma lei que obrigue os estabelecimentos a trocarem as sacolas plásticas pelas ecológicas se não for feito um trabalho de consciência ambiental junto a população.

As crianças estão mais preparadas para isso e nós, adultos, especialmente os mais velhos, que fomos criados em um ambiente de turbulência econômica nas décadas de 70, 80 e 90 em que o assunto meio ambiente não era prioridade e não se tinha essa visão de destruição pela poluição. Eu vivi a minha adolescência na década de 80 e início de 90 e confesso que não tínhamos preocupação alguma com este tema.

Na medida que evoluímos em conhecimento e em responsabilidade ambiental vamos criando a cultura da preservação da natureza. Quando eu frequentei o ensino regular, os trabalhos com foco no meio ambiente eram poucos e não tinham a seriedade que se tem hoje. Não era culpa de ninguém. A nação tinha outro foco.

É preciso começar colocando a sacola ecológica para vender, como fizeram os grandes varejistas deste país. Em uma destas redes comprei a minha a R$ 2,90. No começo eu esquecia em casa e voltava com as plásticas. Era o hábito, mas agora não esqueço mais. Vejo outras pessoas fazendo isso e fico com vergonha quando esqueço a minha. Funciona como uma espécie de indução.

Os varejistas demoraram um longo tempo para terem sucesso com esta mudança de hábito. Você entrava numa grande rede, por exemplo, e as sacolas estavam na entrada, a vista do cliente, com o devido merchandising social sobre o tema. Imagine... Você entra todo dia em um supermercado e vê aquela propaganda e começa a desconfiar que aquilo é algo bom, que faz bem para a natureza e consequentemente para nós.

No fim, você entra na onda!

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Quente!!!


Kylie Minogue - All The Lovers (2010)
Enviado por ghettorecords. - Ver os últimos vídeos de musica em destaque

Pra tchurma neoliberal, ultramegapower, GLS, etc...
Muito bonito!!!!

Nova proposta

Um conhecido de uma pequena cidade do interior de Santa Catarina pensou em fundar um novo partido e unir amigos em prol de um projeto político novo, sem vícios, sem coronéis, sem caciques. Pensou o meu amigo que bastaria unir todos os amigos, conversar com o diretório estadual para ver os posicionamentos e tocar o projeto. Meu amigo fez cartilha, escreveu tudo no papel aquilo que ele achava ser uma boa proposta para melhorar a sua cidade e o seu país. Ele estava entusiasmado, queria que suas idéias clareassem outras mentes, ele queria mostrar que a política de verdade não é esta que se vê. Ele está tentando... Está muito difícil, pessoas se infiltraram no partido para tentar minar as suas idéias e fazer com ele e seus amigos apóiem um outro partido, para um suposto bem maior em prol do bolso das mesmas pessoas. É difícil em uma cidade pequena largar as oligarquias, desvincular-se dos coronéis e das velhas raposas, mas nada é impossível!

O livro de Eli

O livro de Eli era uma bíblia sagrada em braile. Um filme de ação com uma mensagem de fé. Se um dia o mundo sofrer uma ação devastadora causada pela poluição e neste cenário as pessoas não saberem mais o que venha a ser uma religião, será mesmo que uma única obra da bíblia sagrada pode vir a fazer a diferença e iniciar uma nova reconstrução? A palavra de Deus é devastadora. Essa é a mensagem do filme na minha opinião. Eu gostei do filme.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Exemplo de cidadania

O advogado Geovani Justino da Silva é da nova geração de profissionais de Ituporanga que não tem medo do Poder Público, não tem medo de coronéis e tem coragem de sobra para defender a lei que deve ser cumprida. Mérito também ao judiciário que julgou a ação popular do nome do Parque da Cebola estritamente a luz da legislação em vigor. O Brasil precisa de gente assim. É um exemplo de cidadão e que quer apenas que a sociedade seja conduzida com mais justiça. Para mim e para a grande maioria das pessoas aquele espaço sempre foi o nosso PARQUE DA CEBOLA e nada mais. Um espaço do povo com o nome da sua principal cultura, a cebola. 

terça-feira, 20 de julho de 2010

Globalização

E-mail que circula pela net sem autor:


Pergunta: Qual é a mais correta definição de Globalização?

Resposta: A Morte da Princesa Diana.

Pergunta: Por quê?

Resposta: Uma princesa inglesa com um namorado egípcio, tem um acidente de carro dentro de um túnel francês, num carro alemão com motor holandês, conduzido por um belga, bêbado de whisky escocês, que era seguido por paparazzis italianos, em motos japonesas. A princesa foi tratada por um médico canadense, que usou medicamentos americanos. E isto é enviado a você por um brasileiro, usando tecnologia americana (Bill Gates) e provavelmente você está lendo isso em um computador genérico que usa chips feitos em Taiwan e um monitor coreano montado por trabalhadores de Bangladesh, numa fábrica de Singapura, transportado em caminhões conduzidos por indianos, roubados por indonésios, descarregados por pescadores sicilianos, reempacotados por mexicanos e, finalmente, vendido a você por chineses, através de uma conexão paraguaia.



É mole!!! 

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Enem 2009 – As estruturas pequenas sobressaíram-se

O Colégio Frederico Probst de Petrolândia ficou em 2º lugar na prova do Enem 2009 entre os colégios públicos do estado de Santa Catarina, deu em todos os noticiários locais e estaduais, perdendo apenas para o famoso colégio Militar de Florianópolis, o Feliciano Nunes, uma instituição estadual. Até aí, nada de novo.

Conheço!

Quem conhece o Delfinzinho, filho do presidente da Federação Catarinense de Futebol  sabe que a "briguinha" com o locutor da rádio de Joinville é só mais uma no currículo do rapaz. Já vi esta novela muitas vezes, inclusive ao vivo quando estudava em Itajaí. Sabe aquela história do cara que procura o seu destino?

domingo, 18 de julho de 2010

Bobagens da vida



Conheço dois camaradas que estavam brigados por 12 anos e agora, nesta semana, reataram a amizade, já não lembravam mais porque ficaram tanto tempo sem se falar. Agora estão se "lambendo", tentando recuperar o tempo perdido. Uma banalidade iniciada em um carteado numa mesa de bar. Vamos ficando mais velhos e enxergando as verdades da vida.

As vezes deixamos as coisas pequenas, sem importância, tomarem proporções enormes. Precisamos ficar atentos para estes momentos. Segundos que podem acabar uma amizade, num estalo. Uma bobagem! E como tem casos assim. São muitos.

Buscar neste blog