Ahparaneo no Facebook

sábado, 29 de maio de 2010

A bola da Copa é leve

Bola leve sempre foi problema para goleiros, inclusive nas peladas. Lembro de quando menino a gente optava por comprar as bolas mas leves com a intenção de prejudicar os goleiros. Quem joga futebol rotineiramente sabe do que estou falando. Júlio César na vedade aproveitou sua imagem em alta no mundo todo para dar um recado aos fabricantes. Só isso. Só que tem muito mais jogadores de linha do que goleiros. As bolas vão continuar sendo leves. Daqui a pouco elas vão ter 410 gramas. O mínimo permitido. Pode anotar!

Constatei
O pessoal do futsal vai gostar de jogar uma pelada com a bola da copa da África porque ela é cheia de ranhuras que facilitam a aderência com o calçado e com o piso. Constatei isso em uma recente pelada. Quem gosta de dominar e girar a bola com o pé sobre a esfera vai gostar.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Repaginada


Do meu amigo Jornalista Adílson Turnes:

"Só pode ser piada da oposição, li, e re-li, em vários sites, que o novo visual da Dilma Rousseff é motivado pela transmissão da TV Digital. Já a vi pela SKY, num canal de noticiário HD, e também pela transmissão padrão da parabólica convencional e minha conclusão sobre o assunto continua a mesma. Meu voto não mudou!"

Bons de prova, péssimos na prática


A profissionalização dos cursos preparatórios para Concursos Públicos têm fabricado uma geração de brasileiros realmente muito bons de prova. Os “caras” estraçalham em matemática, em química, em física, em regras, em fórmulas e etc. O problema é que quando estes mesmos “caras” tomam uma dose de realidade, as coisas de complicam. Para toda profissão é necessário o mínimo de alma, de paixão. Alguns concursos públicos também não conseguem efetuar uma prova que meça o real potencial do futuro servidor do povo. Vou dar um exemplo: Motorista de veículo pesado ou operador de maquinário pesado, bens de alto valor agregado, muito capital investido pelo Poder Público. Em muitas prefeituras, por exemplo, existiam excelentes profissionais nestas áreas que fizeram os ditos concursos, mas não passaram, justamente porque foram mal avaliados. Quem passou foi a meninada boa de prova, de continha de matemática. Ninguém avaliou o conhecimento técnico destes caras. Se um veículo deste quebra na estrada, a casa cai. Tem que chamar os “véios” para consertar o problema de freio, de vazamento e etc. Um equipamento pesado que custa meio milhão de reais está na mão deste pessoal, nada contra, mas quem sai perdendo é o contribuinte que pagou os seus impostos e agora vê este maquinário na mão da meninada. Essa rapaziada não sabe o nome dos componentes, das peças, não sabem trocar o óleo, não sabem consertar a mangueira que estourou e não cumprem o serviço no horário, com raras exceções. As prefeituras perderam muita gente boa porque os concursos foram muito mal elaborados. A avaliação tem que ser muito mais prática do que teórica. É isso mesmo! Falei.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Lombo ardido

Nem com um timaço como o nosso, não dá. Os flamenguistas como eu, amanhaceram hoje com o lombo ardido.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Distorceram a mensagem

Na edição impressa do Jornal A Comarca (Edição 329) escrevi uma nota discordando dos vereadores que votaram contra a subvenção para o Moitas. Expressei a minha opinião. Não ofendi ninguém. Exerci a minha cidadania. Alguns não gostaram e eu respeito a discordância. Estamos em uma democracia e cada tem seus motivos e razões. O problema é que levaram o assunto a outro patamar e aproveitaram para pegar carona com outro tema, muito mais sério. Ninguém é bobo. Muitos sabem interpretar o que leêm! A sociedade dará a resposta no tempo certo. Eu também é claro.

terça-feira, 25 de maio de 2010

A árvore e o livro

De um amigo jornalista, grande promessa da terrinha, pequena notinha, mas um enorme impacto de realidade:

"Uma vez ouvi, não lembro onde, nem de quem, que o homem se realiza quando planta uma árvore ou escreve um livro. A árvore eu já tentei, mas a danada não conseguiu “caminhar” com as próprias raízes e acabou morrendo. Sei o que estão pensando (até rindo, talvez), mas prometo que tentarei novamente, quem sabe faltou regar, adubar. Nem digo que faltou podar, afinal, ela sequer chegou a ter galhos suficientes para isso. Mas como disse antes, vou tentar novamente, prometo!

Agora, falando do livro, atualmente, a preguiça (não aquele bicho) as vezes “gruda” em mim e não permite sequer que eu leia um livro com mais de 50 páginas. Sem foto ou gravuras então, nem pensar, ai mesmo que não passo do prefácio. Ai vocês devem imaginar: um jornalista que não lê?! Também não é bem assim, eu leio, bastante, todo dia, toda hora, todo tipo de assunto, porém, hoje em dia tudo é muito rápido, dinâmico e o tempo comanda e difere as coisas que eu quero das que eu posso fazer. Desculpa? Pode ser, mas assim como a árvore, um dia tentarei escrever um livro. PROMETO!

Ps.: Começo a entender a história de que um homem se realiza quando planta uma árvore ou escreve um livro. Do jeito que a coisa anda, com o descaso do ser humano diante da natureza, o único jeito de publicar um livro no futuro será mesmo tendo a própria árvore para fornecer a matéria prima (celulose)."

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Mulher Arroto


A Mulher Arroto do Pânico na TV chama-se Vanessa Barzan e já fez vários ensaios para diversas revistas. Pra quem vê a moça distribuindo arrotos no programa da rede TV, tão bom né ô.

domingo, 23 de maio de 2010

Cantei a pedra

Não é "lorota", mas eu confidenciei ao primo Juliano neste domingo, horas antes da partida do Vasco contra o Avaí em Floripa que o jogo ia acabar 2 x 0 para o Avaí. Ano passado tive a mesma desilusão ao ver o meu Flamengo levar três gols na Ressacada. Depois daquela derrota caminhamos para o título do brasileirão 2009. Será que o Vasco pode conseguir esta proeza em 2010?

Comercial da Heineken



O pessoal que criou este comercial para a cerveja Heineken acertou na mosca.
Foi exatamente no ponto fraco masculino e feminino.

Buscar neste blog